Em tempos de relações descartáveis, a inspiração dos casais deve ser a Sagrada Família

Uma troca de olhares, aquela vontade de ficar horas conversando, o coração palpitando mais rápido, suspiros, encantamento. Ah, o amor! Mas ele é muito maior do que sensações físicas. É cumplicidade, amizade, doação. É querer dividir com o outro os medos, dúvidas, dificuldades.

O encantamento é o primeiro pilar do namoro, mas deve ser precedido da amizade. “A amizade permitir que dialoguemos sobre nossos conflitos, medos e que a outra pessoa nos aceite do jeito que somos”, disse o psicólogo Paulo Tardivo.

Mas como criar esse nível de intimidade em tempos de relações superficiais? A família de Nazaré ensina o caminho. Diante dos grandes desafios que Maria e José vivenciaram, eles não se deixaram abater porque tinham acreditavam em Deus.

“Quando coloco Deus nos relacionamentos compreendo que o outro é um meio para eu alcançar a santificação. Na cultura do descartável a nossa inspiração tem que ser a Sagrada Família”, afirmou o psicólogo.

O casal de namorados Daniel Henrique Ferreira, 22 anos, e Luisa Gambini, 21, encontram na religião a força para enfrentar as tribulações. Eles estão juntos há seis anos. “Com tanto tempo de namora a gente passa às vezes por dificuldades, mas é com Deus que conseguimos resolver”, disse Daniel. “Com Deus você consegue perdoar e entender o outro”, completou Luisa.

Eles acreditam que os ensinamentos e o exemplo da Sagrada Família os ajudam a aceitar as podas de Deus e a crescer como casal. “Ajuda a compreender que o outro tem de diferente. Em um relacionamento superficial você não consegue isso”, afirmou Daniel.

DEUS SEMPRE OUVE OS PEDIDOS

Nathiele dos Santos Grosso, 23 anos, sempre pediu a Deus uma pessoa que fosse da Igreja e tivesse os mesmos interesses religiosos dela. E o pedido se concretizou.

Ela e Gabriel Santos Gomes Silva, 21, estão namorando há dois meses. O casal participa do Grupo Arcanjos de Maria.

“A fé influenciou no nosso relacionamento desde antes de ser um relacionamento. Ele me incentiva a rezar e a estar mais perto de Deus. Sinto que Deus atendeu ao meu pedido e acertou em cheio”, se declara Nathiele.

Eles acreditam que os casais que tem uma relação íntima com Deus possuem um relacionamento mais forte. “Sabemos que relacionamentos não são somente momentos bons. Ter uma base e um refúgio para discernir e encontrar a melhor solução é necessário para a longevidade da relação. O discernimento é encontrado com Deus”, afirmam.

O casal acredita que é e sempre foi um desafio viver um namoro de acordo com os ensinamentos da Igreja, mas não é impossível. “Da mesma forma que temos amigos que tentam nos influenciar de maneira errada, temos alguns exemplos que conseguiram ter um namoro santo e tentamos seguir este testemunho de vida.”

  joyaspandoraonline joyaspandoraonline