A Igreja católica está vivenciando um importante tempo litúrgico: a Quaresma. É o período que antecede a Semana Santa, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. É um tempo em que os batizados são convidados a prepararem seus corações para viverem o verdadeiro sentido da Páscoa.

Com início na Quarta-feira de Cinzas, depois do Carnaval, e duração até a Quinta-feira Santa, é um momento especial de conversão e reconciliação com Deus e os irmãos, fazendo acontecer uma dinâmica batismal – da morte à vida -, de forma que o nosso pecado vá morrendo e, sejamos ressuscitados com Cristo para a verdadeira vida.

“Esse tempo litúrgico é particularmente apropriado aos exercícios espirituais, às liturgias penitenciais, às peregrinações em sinal de penitência, às privações voluntárias como o jejum e a esmola, à partilha fraterna (obras de caridade e missionárias).  (CIC 1438).

Historicamente, a Quaresma começou por volta do ano 350 d.C., como uma forma dos cristãos se lembrarem do valor do arrependimento. No início, a rigidez dos 40 dias era vista como semelhante ao modo de viver das pessoas no Antigo Testamento, que jejuavam e se arrependiam em sacos e cinzas (Ester 4,1-3; Jeremias 6,26; Daniel 9,3). No entanto, com o passar dos séculos, valores muito mais “sacramentais” foram se desenvolvendo.

Só em meados da década de 1970, a prática começou a ser conhecida e vivida pela comunidade católica do Brasil que, desde 1962, como forma de unir a oração e a prática do Evangelho, instituiu a Campanha da Fraternidade.

Como vivenciamos a Quaresma?

“A Quaresma, para nós, é uma oportunidade de mudança interior, arrependimento dos nossos pecados. Desde crianças fomos ensinados pelos nossos pais a nos silenciar, jejuar, por exemplo, não comer carne, não frequentar festas, ou seja, deixar de fazer o que de fato mais tem vontade, isso depende muito da fase da vida que está passando.
Todo ano fazemos um proposito especial e procuramos participar de alguma atividade na paróquia (Via Sacra, procissão). A confissão também é fundamental nesse período. A Quaresma para nós, nos chama a escutar mais a palavra de Deus, a nos colocar mais na perspectiva do amor de Deus e fazer as mudanças necessárias para sermos uma pessoa mais livre e semelhante a Jesus Cristo.
Em resumo, a Quaresma é a preparação para a Páscoa, a mais importante festa do calendário litúrgico cristão, pois celebra a ressurreição de Jesus, a base principal da nossa fé cristã. Nós somos convidados a fazer um confronto especial entre nossas vidas e a mensagem cristã expressa nos Evangelhos.
Esse confronto nos leva a aprofundar a compreensão da Palavra de Deus e a intensificar a prática dos princípios essenciais de nossa fé”. Marcos Link Santi e Grasiely Siqueira Gomes Santi – Crédito: Arquivo Pessoal

“Todos sabemos que é um dos períodos mais importantes para nós católicos, porque é um período de preparação. É um período em que temos que alinhar o nosso corpo e a nossa alma para a Páscoa.
O que eu gosto muito de fazer, como preparo espiritual é meditar, confessar (realmente é um período de arrependimento, é um período de volta), praticar muito o jejum. Muita oração contemplativa, leitura da Palavra, a vida dos santos e rezar o terço diariamente.
Às sextas-feiras deixo de comer alguma refeição principal e não como carne, mas essa última não somente na Quaresma, mas sim durante o ano todo. Desse modo, na Quaresma eu incluo a quarta-feira nesta penitência. Assim, às quartas e às sextas não como carne.
Além disso, me colocar em sintonia por meio do serviço. Procuro sempre fazer obras de caridade. Procuro intensificar as obras de caridade nesse período, pois quando eu me coloco a serviço do outro, a alegria toma conta de mim e percebo a ação do Espírito Santo. Olhar pelos menos favorecidos e ajudar mais os Vicentinos.
Por fim, algo que faço há quase 10 anos e, infelizmente, tive que dar uma pausa por conta da pandemia, é participar ativamente das atividades do Teatro da Paixão de Cristo que ocorre no CSU (Centro Social Urbano da Vila Portuguesa) aqui em Londrina. Atualmente coordeno a equipe dos soldados romanos e me dedico demais para que possamos evangelizar por meio desta linda encenação e fazer com que mais pessoas estejam em comunhão para a celebração da Páscoa”. João Henrique Pedrão Feliciano – crédito: arquivo pessoal
“Sempre fazemos uma penitência, nem sempre com um propósito, normalmente evitamos comer carne nas quartas e sextas-feiras”. Isabela Pedroso, acólita – Crédito: arquivo pessoal

Dicas para viver bem a Quaresma

  • Pratique o silêncio
  • Separe um tempo para a oração
  • Busque a confissão
  • Perdoe
  • Pratique obras de misericórdia
  • Faça jejum
  • Leia a Palavra de Deus e livros que auxiliem na vida espiritual 

Foto: Cathopic.com