O mês de outubro é o mês das missões. Um mês que nos faz pensar no envio dos setenta e dois: os mesmos setenta e dois que caminham a céu aberto, sem bolsa, sem sacola, sem sandálias, sem coisa alguma, levam somente a si…  simplesmente filhos de Deus, enviados do Cristo. 

Caminham de dois em dois, não sozinhos, com pelo menos um amigo onde apoiar o coração, dois a dois, como uma tenda para acolher o Cristo. 

E nesta caminhada existem os lobos, existe o mistério do mal, mas eles não vencerão. O Senhor Jesus recorda aos missionários que eles são enviados como ovelhas no meio de lobos. Talvez os lobos sejam mais numerosos, mas não possuem a maior força – sejam fortes e corajosos!

Jesus manda os discípulos não para entoar lamentos a um mundo distraído e distante, mas antes uma virada radical: o Reino de Deus, Deus mesmo se faz próximo. E os missionários vão de estrada em estrada, de casa em casa, levando Deus – o Deus peregrino que entra em nossas casas. 

“Paz a esta casa”, não uma casa genérica, mas esta casa, estas paredes, esta mesa, este chão, estes rostos, estes corações. A paz é uma palavra a ser preenchida de gestos -perdão, caridade, acolhida, bondade. É infinito o vocabulário de quem quer semear a paz. 

O missionário possui uma única preocupação, a de ser infinitamente pequeno, e assim, seu anúncio será infinitamente grande. Porque no fundo não é seu esse anúncio, mas de um Outro, que tem um rosto, um nome, seu nome é Jesus e vem sempre para nos salvar dos nossos pecados e misérias. 

Neste mês faça um gesto missionário! Evangelize! Lembre sempre que a vinha que o Senhor nos confiou precisa dar seus frutos…